Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

segunda-feira

Como fazer um banco rústico de madeira


Clique para ampliar
Como vê na imagem, é um banco tradicional que fez história em muitas casas, tanto na cidade como na roça e que ainda hoje é encontrado por aí.

A depender do acabamento que fizer, ele pode ter multiplos usos, por exemplo, como console, como suporte no quarto, uma mesa informal de centro em uma área externa, como banco mesmo à mesa no sítio, na casa de praia, enfim é só usar a criatividade e personalizar conforme o ambiente onde pretende colocá-lo.

Clique para ampliar
Vai precisar da madeira, é claro, de furadeira, serrote, chave de fenda, régua e lápis e, conforme o uso que pretende dar ao banco, lixa, tinta ou verniz e pincel. No mais é seguir as especificações no esquema e nas imagens abaixo.

A tábua pode ser de pinho ou pínus, que são mais fáceis de encontrar, trabalhar, são madeiras de reflorestamento e teem um preço mais em conta. Além de 8 parafusos – tipo estrela – de 75mm, 4 cantoneiras com seus respectivos parafusos (16), como vê na imagem nº 1.

Sobre o corte da tábua de 3m de comprimento, 25 cm de largura e 27mm de espessura:
  • 1 de 105cm
  • 2 de 35cm
  • 1 de 75cm
Corte corretamente seguindo a linha traçada antes com régua e lápis, e o mesmo deve ser feito com o pés – o recorte – como na imagem nº 2.

Feito os cortes, é começar a montar, utilizando a furadeira e os parafusos, tentando manter o alinhamento correto para que o banco fique bem estável e equilibrado. No final, é fixar as cantoneiras – como na imagem nº3 – para dar-lhe estabilidade.

Terminado a montagem, você pode deixar como está, rústico e sem acabamento ou partir para dar um acabameno especial na madeira, conforme falamos acima: lixa, verniz ou tinta.

Obs. Se pretende reblogar, leia antes nossa Política de Privacidade.

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga o nosso Twitter, para acompanhar as nossas atualizações.

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Como passar a ferro roupas de camurça

Para desamassar ou passar a ferro peças de vestuário de camurça você deve utilizar o ferro na temperatura para tecido sintético e no vapor. Forre a peça com um tecido de algodão, tipo fronha, e passe lentamente, por partes e detendo-se mais demoradamene nas áreas mais amassadas ou enrugadas.

No processo, o vapor quente acaba por “lavar” a camurça, que perde o cheiro de guardado e deixa parte de eventual sujo no tecido de algodão.

Terminado o processo, coloque a peça em cabide grosso, pois os finos marcam definitivamente a roupa e guarde sempre pendurada. Jamais dobrada e/ou empilhada com outras roupas, bem como dentro de sacos plásticos onde pode mofar e, provelmente, perder a peça.

É isso!

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações



Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como fazer para identificar um produto orgânico

Clique na imagem para ampliar
Os produtos orgânicos chegaram para ficar e, apesar dos preços maiores do que o produto convencional, a produção e o consumo vem aumentando no Brasil, o que levará a preços melhores.

Entretanto, o que é mesmo um produto orgânico? Como diferenciar do convencional se até o preço mais elevado não chega a ser um critério tão confiável assim, pois, fraude não chega a ser uma novidade? Para orientar e esclarecer aos consumidores o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento criou uma cartilha – ilustrada por Ziraldo – “O Olho do Consumidor”.

O seu lançamento serviria tambem para lançar o “Selo do SISORG” (Sistema de Avaliação de Conformidade Orgânica) que, infelizmente não chegou a ser distribuida por força de uma liminar que favoreceu a Monsanto, empresa norte-americana maior fabricante de produtos – alimentos – transgênicos e pesticidas ou defensivos agrícolas venenosos ao solo, aos alimentos, a saúde e a vida.

Mas, se quiser conhecer e se orientar, a cartilha está disponível para download, é só clicar no link: O Olho do Consumidor. Vale à pena dar uma olhada!

Obs. Se não tem o programa para leitura em PDF, clique no link, Adobe Reader (26,12MB) ou em uma versão menor Sumatra (1,66MB).


Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como recuperar plantas “descartáveis” de flora e supermercado

Se gosta de folhagens e flores e as compra em supermercados ou flora, sabe que elas são descartáveis, não é verdade? Pois, depois de alguns dias elas perdem as flores e são jogadas ao lixo com vaso e tudo.

Frequentemente não se espera nem que elas morram, basta começarem a ficar “feias” para serem descartadas, o que não é, convenhamos, uma atitude ecologicamente das mais corretas.

Entrentanto se gosta mesmo de plantas e flores e gostaria de “recuperá-las”, este Como fazer você mesmo pode permitir que elas possam voltar a ficar bonitas e se encherem de flores novamente. O problema é que estes vasos não teem terra – como pode verificar – mas, apenas um substrato vegetal turbinado por adubos especiais o que explica a vida curta dessas plantas.

O lance é retirar a planta com cuidado – depois que ela parar com as flores – misturar o substrato com terra vegetal, tipo meio a meio, e replantá-la fixando-a bem no centro do vaso. Antes é importante ter o cuidado de colocar no fundo do vaso um pouco de argila expandida – encontradas em floras – ou pequenas pedras para facilitar a drenagem.

Depois de um periodo meio “convalescente”, de adpatação, ela voltará a crescer e florar. O mesmo vale para as folhagens. A rega é muito importante. Você deve conferir com regularidade, às vezes todos os dias, o nivel de umidade colocando a ponta do dedo na terra e só repor a água se o dedo sair seco ou quase seco. No caso das violetas, a água deve ser colocada sem que molhe as folhas que em contato com a luz do sol se “queimam”.

O local mais apropriado para colocá-las é onde possa receber a luz do sol – indireta – pois, cada planta necessita de uma exposição mínima à luz para que possa florir, você pode experienciar e verificar o local mais adequado.

É isso! Parece dar mais trabalho do que comprar pronta, mas garanto que se fizer vai ter um grande prazer com o resultado.

.

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como recuperar Pen Drives. Se o seu “queimou”, veja como fazer


O PenDrive, embora pareça e, frequentemente, seja usado como, não é, decididamente, um chaveiro.

A sua garantia nem sempre é equivalente à aquela dos demais equipamentos eletrônicos – 6 meses apenas – ele tem um nível de fragilidade tal que se não forem tomados certos cuidados, pode deixá-lo na mão, impedindo o acesso a seus arquivos, ou parando de funcionar.

Em um chaveiro, ou como um chaveiro, ele vai ser tratado como tal e não vai resistir a situações como pancadas, queda, umidade ou coisas do gênero.

Embora, em principio, seja possível recuperar um pen drive “queimado” o mesmo nem sempre ocorre com os dados contidos nele, pois os programas que prometem fazer isso, começam por formata-lo. Continue lendo...

Share/Save/Bookmark

sábado

Como conservar temperos e verduras

Um problema para donas de casa ou mesmo para quem cozinha são os tais temperos: salsa, cebolinha, quento e outros, que em boa parte acaba indo parar no lixo, pois, são bastante frágeis e pouco resistem nas formas usuais de conservação.

O ideal é que você faça uma pequena horta em casa, em vasos mesmo, para que possa utilizá-las fresquinhas, mas, enquanto isto, uma boa forma de guardá-las, você pode aprender com a dica seguinte, é só clicar no link e conferir: Como conservar verduras.


Share/Save/Bookmark

quarta-feira

Como pintar uma parede ou cômodo

Como "molhar" um pincel/trincha
Pintar um cômodo na casa ou apartamento parece tão fácil que é difícil acreditar que exista um “como fazer” sobre o tema. Mas, é fácil mesmo! O lance é que alguns macêtes ou dicas podem tornar o processo mais simples ou, no mínimo, agilizar um pouco todo processo.

Vai desde informações sobre o melhor pincel e/ou trincha ou rolo, a forma como devemos “molhar” o pincel para facilitar a sua limpeza e conservação depois, e muitos outros detalhes que podem fazer a diferença não só no desempenho do trabalho como na qualidade do resultado final.

Ao clicar neste link: Como pintar um cômodo, você acessa algumas dessas informações que podem ser úteis, mesmo que não se disponha a seguir o passo a passo sugerido.

É isso! Bom proveito.

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações



Share/Save/Bookmark