domingo

Como fazer para ganhar mais eficiência e resultados em seus estudos

Estudar com eficiência e resultado nem sempre significa volume de trabalho, tempo de estudo, já que a forma, o método ou ‘o jeito’ podem levar a melhores resultados do que simplesmente ampliar o número de horas dedicadas.

Logo, eliminar algumas ‘coisinhas’ e/ou procedimentos bem como incorporar outros podem levá-lo (a) a esta eficiência da qual falamos acima.

A ideia de estudar para aprender nem sempre é a regra, já que muita gente só o faz em função do resultado, ou seja, boas notas, mas o fato de conseguir ‘desenvolver algum gosto pelo aprendizado em si vai trazer como consequência natural, e mais efetiva, os bons resultados, ou as boas notas.

É o que vai conferir nas dicas abaixo, um ‘jeito’ de otimizar os procedimentos para que seus estudos sejam os mais efetivos possível tanto no item aprendizado como nas boas notas.
Saiba a razão de estar estudando.
Para motivar o esforço do estudo, é importante ter clareza do que se pretende alcançar com ele. Eu estudo para aprender, outras pessoas estudam para conseguir nota para aprovação ou mesmo para conseguir uma nota melhor que a de outros participantes de algum certame. Ter clareza disso ajuda a vencer a tentação de deixar para amanhã ou desistir de algum tópico mais chato.
Leia também: 
Como fazer para entender o que você quiser. Garante um Premio Nobel de Física 
Como fazer para você parar de enrolar e estudar de verdade 
Como fazer para conhecer e usar dicas definitivas para você escrever melhor 
Como fazer para retornar, ou construir, o prazeroso hábito da leitura
Escolha e adeque seu ambiente.

Se você vai estudar fazendo uso de um computador ou de um smartphone, ao menos desative os programas de mensagens e as redes sociais. Não estude em um local que sua mente associa ao lazer ou ao descanso (as associações que o cérebro faz podem ser muito úteis ao estudo, mas neste caso são um inimigo perigoso), nem em um local desconfortável, barulhento ou mal iluminado. Estude com música, se desejar: se a música não lhe distrair, ela pode ativar mecanismos de memorização positivos, do tipo "essa eu lembro, quando vi esse capítulo estava tocando uma música do Nirvana".

Estudar é mais do que ler.

Leia o material sim, tantas vezes quantas forem necessárias para um entendimento abrangente e com a profundidade desejada. Mas não pare na leitura: resolva exercícios com consulta, depois sem consulta, identifique e corrija seus erros, e produza (sem consulta) uma lista estruturada dos títulos dos principais tópicos do material, para ter certeza de que consegue lembrar deles mesmo sem contar com alguma pista que venha a (não) ser dada pelo texto da prova.

Não memorize, entenda.

Para algumas coisas, como os nomes dos afluentes do Rio Amazonas, não há alternativa além da memorização. Mas a maior parte do conhecimento relevante pode ser compreendido, e não apenas memorizado. A grande vantagem da compreensão, em relação à memorização, é que geralmente o conteúdo pode ser lembrado sem grande esforço na hora em que for demandado.

Continue lendo, aqui.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sexta-feira

Como fazer velas lindas e originais para a decoração do Natal e de sua casa


São objetos tão lindos, como falamos abaixo, que resolvemos republicar este artigo agora para servir de inspiração, sobretudo para este Natal, já que são peças que mesmo podendo fazer parte da decoração durante todo o ano adquirem significado especial nas Noites de Natal, não é verdade?

E é simples e fácil fazer

A imagem fala por si, não é verdade?

"Embora seja um belo objeto colecionável, eu mesma tenho uma coleção de latas assim, que por si só já tenham beleza suficiente para participarem sozinhas da decoração, reserve algumas repetidas – se você as coleciona – e faça as velas que podem muito bem compor sua decoração o ano todo, sem precisar esperar para épocas em que são mais usadas, como no Natal.

Leia:
- Como fazer pequenas Árvores de Natal e complementar sua decoração
- Como fazer velas artesanais e decorativas para qualquer ocasião
- Como fazer velas decorativas e aromáticas para o Natal
Elas podem ser usadas juntas, como na imagem, ou separadas sobre os seus móveis e suportes, tanto nas salas como nos quartos.

Aproveite e clique nos links acima para ver o passo a passo de como fazer você mesma uma vela. É simples e fácil!

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga o nosso Twitter, para acompanhar as nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quarta-feira

Como fazer pequenas árvores de Natal e complementar a sua decoração


Esta é uma ideia simples que pode contribuir para a decoração de casa no Natal. Você pode variar nas cores e usar como mais um detalhe na decoração em vários cômodos da casa, inclusive até na própria mesa da ceia na noite do Natal.

Como pode ver o processo e simples e bem fácil, mas você pode aproveitar a oportunidade e fazer variações em torno da ideia, fazendo árvores com aspectos e cores diferentes o que pode adicionar diversidade, bem como mais beleza à ideia, como fazer de cores únicas, por exemplo. Uma toda verde com ‘enfeites’ diferenciados, dourados...

Isso fica por conta de sua criatividade.

Vai precisar basicamente de:
- Cartolina 
- Papéis coloridos 
- Tesoura   
- Cola 
 O tamanho do cone, ou dá árvore, fica a seu critério, algo em torno de 20 a 25 centímetros.
Clique na imagem para ampliar
Como pode ver, fazer o cone não tem mistérios é só cortar a cartolina no tamanho planejado e colar. Você pode até grampear na base – se tiver um grampeador por perto, para que tenha maior estabilidade.

Retalhos de papéis em diferentes cores ou a combinação desejada. Para garantir a curvatura ideal do retalhinhos de papel que vão compor a cobertura da árvore, force uma curvatura, usando para isso uma faca tipo de mesa, ‘sem corte’.

Na sequência de imagens vai dar para ver com detalhe como montar a ‘sua arvorezinha de Natal’.
.
Com informações e imagens de comoeonde

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

segunda-feira

Como fazer para espantar as traças e como conservar melhor os seus livros

Embora o livro pareça perder terreno para novas tecnologias da informação, é incontestável que continua sendo o verdadeiro ícone da cultura e da civilização.
Fundamento do desenvolvimento do conhecimento de todo tipo, mesmo o tecnológico, sendo que todos os demais suportes de tecnologia, de cultura e informação ‘se suportam’ nele, sobre ele.

Veja o que diz o Bill Gates sobre isso: “Meus filhos terão computadores, sim, mas, antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever – inclusive a sua própria história”.

Logo, em que pese o aparente descaso com que faixas significativas das pessoas e, sobretudo, das novas gerações em tentarem ignorá-lo, “vão perder o bonde” do conhecimento, da informação, isso sem falar em aspectos outros que são os livros, – físicos, de papel – que proporcionam a viagem no tempo e na diversidade de mundos e cenários que formam nossa cultura, de fato, e nossa consciência pessoal e coletiva.

Nas linhas abaixo vai encontrar algumas dicas de como proteger os seus livros de seus inimigos naturais, não os “inimigos contemporâneos”, de forma simples e efetiva.
     Cravo e louro espantam traças veja mais macetes para conservar seus livros
Os livros são amigos silenciosos, capazes de nos levar a outros mundos e tempos. Mas eles também podem ser um 'poço' de poeira composta por fungos, poluentes atmosféricos e até excrementos de insetos. Livrar-se desse pó não é tarefa fácil.

Afinal, esses objetos são feitos de matéria-prima frágil que não pode ser limpa de qualquer jeito, sob o risco de danificar o exemplar.

Os livros devem ser limpos regularmente e a periodicidade ideal varia, mas a sugestão é tirar o pó uma vez por semana ou a cada quinze dias.

Para remover a poeira, passe uma trincha (ou escova) macia sobre o topo das folhas de cada exemplar. Caso queira fazer uma limpeza profunda, tire o pó página a página. Se o volume for antigo e frágil, redobre o cuidado e sempre utilize proteção (luvas e máscara) e mantenha o ambiente arejado durante o processo.

Capas revestidas com filme plástico podem ser limpas com álcool gel ou a solução de álcool com vinagre e pano macio. Os odores ácidos ajudam a prevenir o ataque de fungos e pragas.
Leia também: 
Como fazer para organizar melhor os seus livros ou biblioteca 
Como fazer para retornar, ou construir, o prazeroso hábito da leitura 
Como fazer a limpeza e conservação dos livros 
Como fazer para eliminar parasitas dos livros de forma natural 
Como fazer para combater os inimigos dos livros
A estante precisa de faxina: retire os exemplares, passe o aspirador de pó e, na sequência, um pano úmido (que pode conter um pouco de álcool, vinagre branco ou limpador multiuso, dependendo do tipo de superfície). Antes de repor os livros, espere secar bem.

Continue lendo, aqui.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer uma casa/comedor de pássaros para seu jardim ou varanda

Quase ninguém mais se dispõe a criar pássaros em gaiolas, também porque, pelo menos para aqueles nacionais, existe interdição legal, além do fato de que em tempos tão pós-modernos e cibernéticos, não sobra mais tempo...

Logo, a saída é ‘criá-los’ soltos... É isso, criá-los soltos! Veja como.

Este projeto abaixo e simples e vai dar conta do recado. Você pode colocá-lo em área externa, se em casa, ou mesmo em uma varanda de apartamento.

Se você mora em casa, deve observar bem o local para que fique ao alcance de sua observação, bem como inacessível às bem conhecidas habilidades dos gatos.

A madeira pode ser reaproveitada de alguma que já tenha em mãos – compensado ou aglomerado – embora o ideal é que seja de madeira maciça, de um caixote de madeira, por exemplo, sobretudo se for ficar em área externa e vá receber sol e chuva.

Mas, se aglomerado ou compensado, você deve dar uma selada – com um selador apropriado, veja, na loja – na madeira além de algumas demãos de tinta adicionais para que fique bem impermeabilizada.

Como vê o esquema é bem simples.

Você vai precisar de:
- Madeira (caixotes de ‘feira’)- Martelo- Serrote
- Serra tico-tico
- Pregos
- Esmalte sintético e/ou tinta
Se for usar a madeira de caixote – daqueles de feira/frutas bem comuns – é só fazer os cortes devidos e montar.

Use as laterais do caixote – de madeira mais grossa – para fazer as laterais da ‘casinha’, e o teto e piso com as partes mais finas.
clique para ampliar
As laterais com este corte ‘estilizado’ funcionam como um observador para os pássaros para que se sintam mais seguros quando comendo, você pode fazer os cortes com a serra tico-tico ou, se não tiver disponível, faça cortes equivalentes usando o serrote comum.

Observe que os poleiros externos ficam sob as abas laterais do teto, logo deve observar isso na hora dos cortes. Eles devem ser fixados em furos feitos com broca especifica, colados e pregados, mas se não tem uma, fixe normalmente os poleirinhos com parafusos para ficarem mais firmes.
clique para ampliar
Terminada a montagem, faça furos – dois dá mais estabilidade – na ‘parede’ do fundo para pendurar em local que pegue sol uma boa parte do dia e fora do alcance dos gatos.

O acabamento final deve ser com esmalte sintético ou selador – como falamos acima – sobretudo se for deixá-lo em área externa o que vai protegê-la contra o rigor do sol e chuva.

Já tivemos experiências do gênero – ter visitas diárias desta turma – e é muito bom, com certeza!

Com informações de bricolagem

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer para podar suas plantas e garantir-lhes saúde e beleza

É um recurso necessário para garantir não só o espaço que reservou para elas, bem como para mantê-las sempre belas e saudáveis.

Antes de iniciar certifique-se que esteja com as ferramentas necessárias, e bem amoladas, já que, quando cegas cortam mal e deixam cicatrizes de demorada recuperação que pode comprometer a saúde da planta.

Você pode utilizar uma tesoura de poda convencional ou, se não tem uma à mão, pode usar uma faca super amolada – corte devagar e com cuidado para não ‘mastigar’ ou lascar – ou mesmo um estilete grande o suficiente para a tarefa, já que são bem amolados e eficientes (deixe uma ponta curta ao cortar para evitar acidentes ou que venha a quebrar).

É bom lembrar que estas sugestões de ‘ferramentas alternativas’ se reservam a plantas mais tenras e de fácil manuseio. Já que, a depender do caso, pode até usar um serrote, de preferência pequeno e fino.

O primeiro passo seria meio ‘estético/sanitário’. É o caso de eliminar os ramos, e folhas, secos, fracos e doentes. É um procedimento sanitário e estético, quando vai educando/moldando a planta ao seu gosto e às características do espaço onde está localizada.
Veja o ângulo de corte mais adequado na poda
Na poda convencional, periódica, identifique os ramos ou galhos pouco desenvolvidos em relação aos demais. Ao cortar, pode fazer a opção de fazê-lo logo acima de uma nova gema – ou broto – quando vai ser gerado novo galho mais fino. Mas, caso queira “educar”, mesmo, corte bem rente ao caule ou na haste do ramo maior de onde ele se originou que não voltará a crescer.

Lembre-se.  Tente, antes, visualizar a nova planta que vai surgir depois de sua intervenção. O formato, o rumo do crescimento e o visual final em plena forma e verifique se é o que pretende ao podá-la.

Observe igualmente a sua interação com as vizinhas e o ‘arranjo estético’ final do seu espaço.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como fazer para dar usos inusitados e interessantes para capas de almofadas


As capas de almofada, ou mais precisamente as almofadas, em si já são muito importantes em qualquer ideia e/ou projeto de decoração e conforto no ambiente, não é verdade? Tanto é que chegam a extrapolar a sala usual e se insinuar nos quartos e demais ambientes da casa.

Sem falar que os “bichos” da casa “adoram” uma almofada.

Nestas linhas abaixo vai encontrar alguns ‘novos’ usos – para as capas – que vão ampliar, e muito, a importância delas na casa, agora no aspecto organização e cuidados

Vai ver que podem contribuir na forma como guardamos e tornamos mais acessíveis vários itens do nosso cotidiano e da ‘vida' de uma casa, tornando-se, por exemplo, uma grande aliada em armários e guarda-roupas.

Elas podem guardar cachecóis, gorros, luvas e blusas de lã que, normalmente ficam meio que espalhadas pelo armário, inclusive fora da estação.

Um uso ‘diferente’ mas bem apropriado é guardar travesseiros avulsos deixando-os prontos ao uso imediato.

Guardar outras roupas de estação, deixando-as limpas e prontas para uso eventual ou mesmo em bom estado para a estação apropriada.

Guardar roupas ‘descartadas’ para doação. Vá reunindo em uma capa de almofada em um local acessível e prontas para serem oportunamente triadas e doadas.

Guardar bolsas e sapatos, facilitando a acomodação, protegendo e deixando no ponto para o uso. Outro uso adicional é o de acomodá-los em malas quando em viagem.

A ideia que estamos colocando aqui é de usar capas de almofadas, mas não impede que isto seja feito, também, com fronhas.

Como vê, são alguns usos muito interessantes e se você usar a criatividade vai encontrar outros igualmente oportunos e práticos.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Como fazer um campo de futebol de dedos, o Dedobol

Diante de tantos eletrônicos que rolam hoje, jogos assim é como se ‘ficassem em um canto’, embora represente de forma bem mais real a velha partida de futebol e exige qualidades diferenciadas dos jogadores.

Fazer um campo/tabuleiro para o dedobol como este é bem simples, como vai conferir abaixo.

Vai precisar de:
- Tabua de madeira compensada retangular com 50 cm x 30 cm, 
- Duas ripas de madeira com 2 cm de largura e 50 cm de comprimento
- Quatro ripas de madeira com 2 cm de largura e 13 cm de comprimento
- 22 pregos de cabeça redonda (não machucam a mão ao jogar)
- Cola e pregos para a montagem das laterais do campo, 
- Martelo, 
- Serrote
- Lixa d’água, para madeira (número 180 ou 120 para madeira)
- Tinta esmalte sintético verde para o gramado e látex branca para demarcação, 
- Fita crepe, 
- Bolinha de gude ou moeda.
Antes de começar a montagem do campo, lixe todas as peças para evitar que alguma farpa espete seu dedo enquanto estiver montando, ou venha a atrapalhar o projeto final.

Pinte o ‘campo’ – a madeira – com tinta esmalte sintético verde médio com várias demãos para ficar bem liso.

Depois de seco, desenhe – demarque – o campo usando tinta látex branca normalmente e como guia ou molde, utilize a fita crepe para fazer uma linha precisa sem “sujar o gramado”.
Feito isso, depois de seca a tinta pregue as ripas nas laterais do campo, conforme vê na imagem. Bata os pregos com cuidado e verifique se a ponta não saiu do lado oposto para evitar acidentes.

Os jogadores (pregos de cabeça redonda, se preferir) devem ser distribuídos conforme indicado na foto, ficando 11 de cada lado, e pintados – as cabeças – com as cores de times que achar melhor.

Daí, é só chutar a bola!

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark