Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

sexta-feira

Como fazer para você mesmo amolar as tesouras em casa


Como qualquer outro objeto de corte, uma 'tesoura cega', ninguém merece! Não é verdade? Embora venham surgindo tantas tesouras tipo “fast food”, de consumo rápido e até de bom preço – facilmente quebráveis e descartáveis – as velhas tesouras não precisam ser aposentadas, elas podem, sim, ser amoladas e voltar a ser usadas normalmente.

Como vai ver abaixo, é fácil amolar uma tesoura sem ter que recorrer a algum “amolador”, que não devem existir aos montes por ai. Dê uma olhada!

Dobre um pedaço de papel alumínio várias vezes no sentido do comprimento para obter uma tira grossa. Corte algumas tiras desse papel alumínio dobrado com a tesoura até que as lâminas fiquem afiadas.
 
Pegue uma lixa fina, de grão 150 ou 200, de preferência de ‘ferro’ e comece a cortar em tiras. Você vai notar que logo nas primeiras tiras ela começa a recuperar o fio. Vá fazendo teste em uma folha de papel ou tecido, por exemplo, para ver o ponto.

Estas duas formas de amolar a seguir parecem meio estranhas mais funcionam.
Use um alfinete comum de costura. Tente cortá-lo com a tesoura a ser afiada, deslizando o alfinete para frente ao mesmo tempo. Repita este movimento várias vezes para deixar as lâminas bem afiadas.

Pegue um objeto de vidro cilíndrico e duro*. Pode ser um copo, uma garrafa – o pescoço – ou o cabo de uma chave de fenda. Coloque o objeto entre as lâminas da tesoura. Abra a tesoura o máximo que o diâmetro do objeto permitir e empurre a tesoura contra o objeto o mais próximo do cabo e “corte” o vidro. Ao “cortar” o cilindro, puxe repetidamente a tesoura para cima e para fora.

Você pode, também, “cortar” como se tentasse abrir o gargalo ou a boca da garrafa, no caso de uma tesourinha, por exemplo.

*Escolha um objeto que possa ser riscado, pois o vidro pode ficar danificado durante este procedimento.

Como vê, são várias, e diferentes, opções para você recuperar e amolar as tesouras e/ou recuperar fio de corte das suas já aposentadas.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quarta-feira

Como fazer uma massa de modelar caseira para as crianças


A brincadeira com a massa de modelar permite fazer exercícios que vão fortalecer os músculos das mãos e dedos, permite ainda movimentos isolados dos dedos e estimulação tátil e proprioceptivo que contribui para melhorar a coordenação motora fina e a destreza manual. Logo, é tudo de bom para as crianças.

A receita desta massa de modelar caseira não chega a ser uma grande novidade, mas se você não conhece, dê uma olhada abaixo. É uma boa alternativa àquelas industrializadas que contêm elementos não necessariamente saudáveis para a criançada. Ainda tem um item interessante adicional, que é convocar a turma para participar da própria confecção da massa.
Ingredientes
  - 4 xícaras de farinha de trigo
  - 1 xícara de sal de cozinha
  - 1 colher de sopa de vinagre
  - 2 colheres de sopa de óleo
  - 1 xícara e meia de água
  - Corante alimentar colorido
Como fazer
Reserve o corante e misture os demais ingredientes em um recipiente. Em seguida verifique a consistência: se a massa estiver muito pegajosa, acrescente um pouco de farinha. Se tiver ficado muito seca, junte um pouco mais de água.

Separe uma parte da massa para cada cor de massinha desejada. Utilize corantes de cores diferentes. Misture algumas gotas de corante em cada parte da massa. Você também pode misturar os produtos criando novas cores.

Está pronta a massinha, agora é só deixar as crianças se divertirem. Aliás, chame-as para preparar a massinha, elas adoram ajudar. Na hora de guardar a massa, basta colocá-la em um pote bem fechado. (Portal EBC)

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

segunda-feira

Como fazer para melhorar sua concentração no estudo e trabalho segundo dicas da neurociência


A produtividade e à otimização do tempo, sobretudo no estudo e trabalho vem se complicando em função da internet e redes sociais – embora não seja o único fator – quando o vicio, porque já se tornou um vicio meio que dissimulado, de se consultar as ‘novidades’ nas redes sociais a cada minuto, corta a concentração essencial à execução de qualquer trabalho e/ou processo produtivo.

Logo, esta situação só pode ser rompida com os velhos: esforço e autodisciplina.

Ou seja, o autopoliciamento deve se continuo e constante. Não tem outra saída!
.
Em função disso, a neurociência traz algumas orientações fáceis de implementar que podem ajudar os mais dispersos. 

Confira a seguir:
1. Divida sua jornada de trabalho em fatias
Segundo Carla, o cérebro humano consegue se fixar num único objeto durante 50 ou 60 minutos. Depois desse período, a atenção inevitavelmente se esvai.

A dica é trabalhar ininterruptamente durante esse bloco temporal, e então fazer um intervalo de cinco a 10 minutos para checar mensagens do celular, acessar redes sociais ou levantar para tomar um café.

“A pausa ajuda a descansar as áreas ativas no cérebro até então”, explica a professora. Após esse breve período de relaxamento, você estará pronto para outra sessão de trabalho.
2. Mantenha-se bem alimentado durante todo o dia
Trabalhar em jejum não é uma boa ideia para quem busca concentração. Isso porque o sistema atencional requer uma grande quantidade de energia, segundo a neurocientista.

Durante a jornada de trabalho, é aconselhável ter sempre algo no estômago: tanto para que haja força suficiente no organismo para manter o foco, quanto para que o cérebro não se distraia com a fome.

Não é necessário ingerir grandes quantidades de alimento. Segundo Carla, basta uma barrinha de cereais ou um suco entre as principais refeições do dia.
3. Ouça música (que você já conheça) 
Fones de ouvido podem ser um recurso excelente para manter o foco. Além de reduzir o ruído ambiente, ouvir música pode trazer bem-estar. “Não é bom escolher um repertório ‘deprê’, o ideal é que ele seja leve e prazeroso”, diz Carla.

É importante que você não se envolva demais com a trilha sonora, apenas relaxe com ela. Por isso, a neurocientista recomenda escolher um repertório que você já conhece. Uma música nova exige mais atenção do cérebro, até para ele decidir se gosta dela ou não, por exemplo.

Uma sugestão é montar playlists com duração de 50 a 60 minutos, já que esse é o tempo máximo em que conseguimos prestar atenção ininterrupta. “Quando a música acabar, você já saberá que é hora de fazer a pausa”, diz ela.
4. Elimine a bagunça e o desconforto
De acordo com Carla, mesas de trabalho caóticas são “horríveis para o cérebro”. Isso porque o sistema nervoso tende a se espelhar no ambiente externo. “Se não há lógica do lado de fora, fica difícil se organizar internamente”, afirma.

É verdade que o caos pode ser um grande aliado na busca por criatividade e inovação. Mas, se o seu objetivo é terminar uma tarefa, é melhor manter a sua escrivaninha limpa e organizada.

A falta de cuidado com a ergonomia também pode gerar distrações. “A sua postura de trabalho deve ser correta e confortável, para que o seu cérebro não se concentre mais no cansaço do corpo do que no trabalho”, recomenda a professora.

Publicado em exame

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer e usar os pontos básicos para qualquer costura


A costura hoje não anda dando tanto ‘ibope’ assim, pelo menos dentro de casa, com as “novas” mulheres, não é verdade? Mas, quem não precisa de, em alguma emergência, pelo menos, apelar para uns pontinhos aqui ou ali?

Nesse texto abaixo você pode aprender como fazer quatro pontinhos básicos, o que vai lhe permitir fazer, praticamente, todo e qualquer conserto com uma agulha e linha.

           "Você pode fazer praticamente qualquer tipo de conserto com quatro pontos básicos. Se você nunca costurou, talvez seja bom praticar um pouco, para desenvolver a habilidade de fazer pontos uniformes e delicados em linha reta.

    • Pesponto: visto de cima, o pesponto parece uma linha contínua de pontos iguais; visto do avesso do tecido, os pontos são duas vezes mais longos que aqueles de cima e se sobrepõem nas pontas. Use um fio único com nó e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado de baixo das camadas de tecido 1/3 cm para a esquerda de onde sua costura começará.

Passe a agulha para o outro lado do tecido até o nó. Insira a agulha 1/3 de cm por trás, onde o fio emerge, isto é, onde sua costura começará. Traga a agulha para cima 1/2 cm além desta inserção e puxe bem a linha. Traga a agulha para cima 1/2 cm além desta inserção e puxe a linha para o outro lado. Continue assim, formando pontos com espaçamento igual com cerca de 1/3 cm de comprimento.

    • Alinhavo: o alinhavo é usado para manter duas ou mais camadas de tecido juntas temporariamente, durante provas ou modelagem. Talvez você queira alinhavar uma bainha ou punho para garantir que gostaria do comprimento, antes de completar a bainha com uma costura mais permanente. Use um único fio sem nó, para poder puxá-lo com facilidade e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado direito e passe a agulha e linha pelo tecido, para dentro e para fora, duas ou três vezes.

Pontos de alinhavo podem ter um centímetro ou pouco mais que isso, de comprimento. Puxe o fio parcialmente para o outro lado do tecido, prendendo a ponta sem nó entre seu polegar e o indicador, de modo a não puxá-lo totalmente. Reinsira a agulha e repita o processo. Deixe a linha frouxa na ponta, para poder removê-la com facilidade.

    • Ponto corrido: o ponto corrido, usado para consertos delicados, costuras visíveis e franzidos é trabalhado de forma muito semelhante ao alinhavo, mas os pontos são menores e uniformes. Prenda o fio nas duas pontas com um nó. Use um fio único com nó e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado avesso e passe a agulha e linha pelo tecido, para dentro e para fora, de modo uniforme, duas ou três vezes. Puxe a linha para o outro lado com firmeza, mas evite enrugar o tecido.

    • Chuleado: este ponto é usado para prevenir o esfiapamento da borda do tecido. Use um fio único com nó e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado de baixo do seu trabalho. Puxe a linha através do nó e insira a agulha pelo lado avesso novamente, 1/3 a 1/2 cm à esquerda do nó. 

Puxe a linha para o outro lado, mas não com muita força ou o tecido se enrugará. Quanto mais propenso ao esfiapamento for o tecido, mais próximos deverão ser os pontos da costura. Mantenha a profundidade dos pontos uniforme e os torne tão rasos quanto possíveis, sem afastar demais as fibras do tecido.

Veja só, costurar não é mais coisa só para vovozinhas. Seguindo as dicas e orientações simples apresentadas neste capítulo, você estará preparado para qualquer projeto que lhe surja pela frente.

Publicado em robmaqmoda

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer para livrar suas peças de couro e camurça das manchas de tinta


Por mais que tenhamos cuidado um rápido incidente acaba por manchar aquela peça de couro ou de camurça, seja uma bolsa, sapato, casaco ou outra peça de roupa, e o pior, e quase sempre em um local à vista e que não tem como disfarçar ou ocultar.

A saída é retirar a tal da mancha. E é o que vamos indicar para você, algumas dicas de como fazer isso.

Uma mancha bem comum é a de caneta esferográfica, aliás, não só em peças de couro.

A primeira medida, mais segura, a ser tomada, é “apagar” a mancha delicadamente com um lápis borracha, depois passe uma escova de cerdas macias e se notar a mais leve alteração hidrate com um pouco de glicerina.

Se não sair, molhe um cotonete com um pouco de bicarbonato de sódio úmido e faça leves movimentos, sem esfregar. Nesse caso é importante a leveza e insistência, mas, se mesmo assim não retirar, a saída é uma pequena fórmula simples e mais eficiente: 1colher de glicerina com 2 colheres de álcool. As medidas serão proporcionais ao tamanho da necessidade ou do tamanho e numero de manchas, se uma colherinha de chá ou maior.

Depois destes procedimentos de retirar a mancha, é recomendável hidratar o local.

Como disse acima. O segredo para não danificar a sua peça é, sobretudo a leveza nos movimentos sobre a mancha. Entretanto se ela resistir, mesmo e considerando o valor de uma peça de couro, um casaco, por exemplo, busque os serviços de um profissional.

Um lembrete muito importante é fazer um teste em uma parte interna, e não visível, da peça para se certificar se a fórmula não vai danificar o couro.

Se a mancha for em peças de camurça, a recomendação principal é escovar com uma escova limpa – existem escovas próprias para escovar camurça – mas, você pode utilizar uma escova de dentes macia e descartada. Faça isso levemente e em um único sentido.

A segunda opção e proceder como no caso anterior, do couro, e tentar “apagar” a mancha com um lápis borracha observando, também, o procedimento no caso anterior: leveza e um único sentido na hora de ‘apagar’ ou esfregar sobre a mancha.

As peças de camurça, sobretudo sapatos e bolsas, são mais propensas e sofrerem ‘acidentes’, logo, convém ser tratadas com cuidado e devem periodicamente receber um trato com uma escova para garantir a sua aparência e beleza.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark