quarta-feira

Como fazer para começar o dia se sentindo mais organizada e assertiva

Uma boa ideia para começar o dia seguinte de maneira mais tranquila e produtiva e com menos estresse, é cuidar um pouco hoje para que tudo saia nos conformes, ou seja, basta um mínimo de planejamento e organização.

São decisão e atitudes simples, mas que podem trazer um bom resultado, deixando o nosso cotidiano mais previsível e mais eficiente no desenvolvimento de nossas tarefas e bem mais tranquilo o nosso dia.
1. Limpe antes de dormir
É difícil acordar com uma pia cheia de louça suja e uma casa bagunçada. Dedique alguns minutos antes de dormir para arrumar as principais áreas da casa. Peça aos membros da família para recolherem suas coisas e levá-las aos seus respectivos quartos. Lave a louça e tente deixar a cozinha limpa. Se sua casa estiver relativamente limpa à noite, você pode ir direto para as coisas importantes no dia seguinte. Você também não estará muito atrasada em suas tarefas diárias.
2. Prepare seu almoço
Se você tiver aula ou trabalho, não se esqueça de preparar o almoço do dia seguinte antes de ir para a cama. Embale os lanches de seus filhos também, ou supervisione enquanto eles o fazem. Se você fizer isso durante a noite, você não ficará afobada. Você pode preparar um almoço saboroso e saudável. As manhãs na minha casa são bem agitadas. Ter o almoço preparado e pronto de véspera economiza tempo e torna a rotina matinal mais eficiente.
3. Faça uma lista de tarefas diárias
Fazer uma lista de tarefas vai ajudar você a se concentrar quando o amanhã começar. Ter minha lista de afazeres fora de minha cabeça às vezes também me ajuda a dormir melhor. Sua lista pode ser geral ou específica, no papel ou eletrônica (em seu celular, computador ou tablet). Descubra o que funciona para você e use-o. Eu prefiro a versão em papel. Riscar itens é muito gratificante.
4. Separe as roupas que serão usadas
Eu não posso contar os minutos que eu já desperdicei tentando encontrar algo para vestir. Dedique alguns minutos à noite para planejar o que você quer usar no dia seguinte, levando em consideração suas atividades e o clima. Se você tiver filhos que também são lentos para se preparar, faça com que eles escolham suas roupas também.
5. Coloque um despertador
Colocar um despertador é útil, mas sair da cama quando o alarme tocar é o mais importante. Se você não consegue acordar por conta própria no horário certo, coloque um alarme e levante-se! Eu faço com que meus filhos mais velhos coloquem alarmes e levantem-se também. É uma boa prática para ser independente e não se atrasar.
6. Durma bem
Ter uma boa noite de sono, por vezes, parece impossível, mas fazer um esforço para conseguir significa que talvez possa acontecer de vez em quando. Quando eu consigo dormir o suficiente, eu me sinto revigorada e pronta para começar um novo dia. Saiba quanto tempo de sono seu corpo precisa para ser produtivo e saudável e, em seguida, tente dormir essa quantidade na maioria das noites. Para muitos adultos, em torno de sete horas é uma boa quantidade de sono.

Ser organizada requer esforço, mas uma vez que você começar a usar as suas noites com sabedoria, essas tarefas se tornarão parte da sua rotina normal. E o melhor - você vai se sentir mais relaxada e ter tempo para sua família. Tente algumas dessas seis coisas diárias para fazer cada amanhã mais produtivo.

Com informações de Amy Peterson. Traduzido e adaptado por Sarah Pierina

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

segunda-feira

Como fazer para ‘tirar’ usos/funções inusitados de vários objetos e ‘coisas’ triviais


Sabemos, em princípio, que cada ‘coisa’ tem uma função, uso, em si mesma, desde sempre, não é verdade? 

Mas, sabe-se lá o porquê, mas o fato é que a gente vai descobrindo, usos inusitados para ‘coisas’ triviais do nosso cotidiano, o que costuma dar uma força, como se diz.

É o caso desta relação abaixo, onde vai encontrar algumas utilidades bem interessantes e oportunas para velhos conhecidos nossos.
Pasta de dente é bem polivalente.
Limpar óculos de natação. Passe uma fina camada de pasta na parte interna das lentes, deixe agir por alguns minutos e lave, ajuda a fazer com que eles não embacem.

A prataria não anda lá muito brilhante? O anel anda meio apagado? Esfregue um pouco de pasta de dentes com um pano ou uma escova sem uso e veja os objetos brilharem novamente.

Remove marcas de lápis de cor na parede. Esfregue levemente com um pano macio e enxágue com água morna.

A mesma técnica serve para o ferro de passar que vai escurecendo com o uso.

Pode ser uma grande auxiliar na remoção de pequenas manchas das roupas. Simplesmente cubra com um pouco de pasta, dê uma leve esfregada e deixe agir por alguns minutos antes de lavar. Só tome cuidado pra não usar pastas branqueadoras em tecidos coloridos

Outra mancha nada agradável e a de copo na mesa de madeira. Para eliminar basta usar um pouco de pasta de dente e esfregar levemente para removê-las.

Dá um bom trato na sola branca do seu tênis favorito. É só passar a pasta e recuperar o branco original.

Os faróis do carro recuperam a transparência necessária por um bom tempo com a pasta de dente e um pano úmido.

Qualquer objeto cromado como as torneiras voltarão à cor/brilho original com um pouquinho de pasta e umas esfregadas de leve (para não arranhar).

É o mesmo que pode fazer com riscos no visor do celular... Bem de leve, mesmo, para na provocar novos arranhões.

A pasta de dente pode até mesmo clarear suas unhas. Basta cobri-las com pasta, deixar agir por alguns minutos e lavar.

 Elimina o velho conhecido cheiro de alho nas mãos. Lave-as usando a pasta como ‘sabonete’.
Esmalte
Pode ser usado para fixar parafusos soltos em armários ou madeira. Passe na rosca, coloque no furo e deixe secar antes de usar novamente.

Pode selar um envelope. Para isso basta pincelar um pouco de esmalte no envelope a título de cola.

Elimina farpas no cabide de madeira ou plástico, para isso basta passar um pouco de esmalte na área que ela fica lisa e preserva suas roupas.

Pode, igualmente, servir para marcar objetos como pinças, tesouras e outros ‘utensílios’ pequenos de metal.
Confira diversas outras ‘novidades úteis’ de muitas coisas:
Detergente: Use-o para lavar roupas com manchas de óleo e de comida preparada com óleo. Depois lave normalmente com sabão de roupa.

Pedra pomes: Passe-a com cuidado em tecidos que estão com bolinhas para lixar delicadamente removendo todas elas.

Secador de cabelo: Para lacear um calçado, vista-o com meias grossas e aqueça o sapato com o secador.

Sal: Pode lavar verduras como o espinafre e couve. Basta colocá-los numa tigela com água salgada.

Escova de dentes: Use na limpeza da casa para alcançar os cantinhos que precisam ser esfregados, assim você não estraga suas unhas.

Geladeira: Guarde seus cremes para o olho na geladeira. O produto frio ajuda a desinchar e a refrescar a área dos olhos para um visual mais descansado.

Fita dupla face: Use-a para fazer pequenos consertos em roupas quando não tiver tempo de costurá-las.

Panos absorventes multiuso: Passe um pano multiuso limpo e úmido nos cabelos para diminuir a eletricidade estática dos fios.

Pó para assaduras: Serve também para remover manchas de óleo em objetos de couro. Aplique o pó sobre a mancha e deixe por uma noite inteira. Se não for suficiente, deixe mais um tempo até a mancha sair completamente.

Como vê, é muito uso especial que pode dar uma força razoável em nosso cotidiano, não é verdade?

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer um porta cintos utilizando um cabide de madeira

O cinto sempre é algo em que o ideal é que esteja, ou estejam, sempre à vista e à mão, não é verdade? De maneira que só em olhar já fazemos a opção da hora sem complicações.

Por isso, esta ideia é muito boa, pois ocupa pouco espaço e deixa-os todos à mostra e ao alcance da mão.

Não chega a ser um cabide convencional, mas, este que é comumente usado para guardar saias e calças femininas, pode ser reutilizado como um “porta cintos” ou organizador de cintos, como falamos acima, facilitando a organização e o acesso, isso além de contribuir para seu cuidado e conservação.

Você pode escolher um lugar fixo para ele, tipo a lateral do guarda-roupa, ou outro ponto igualmente visível e acessível.
Gancho alternativo dourado
O “fazer” não tem mistérios. Como vê, é só comprar os parafusos tipo gancho, dourados, encontrados em qualquer loja de ferragens e/ou material de construção.

Vai precisar de uma furadeira, uma broca fina – verifique na hora com o vendedor qual a mais e adequada para o parafuso que está comprando – daí é só planejar a distância exata e montar o seu cabide de cintos.

Na sequência vai perceber que é uma boa idéia, com pouco trabalho e muita praticidade no cotidiano.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer sua mudança de forma fácil, eficiente e tranquila

Já não se fazem mudanças como ‘antigamente’, como se diz, pois alguns itens “pós-modernos” se incorporaram ao nosso cotidiano, o que muda um pouco ‘a cara das coisas’.

Por exemplo. Não há como marcar a mudança sem antes planejar no seu cronograma uma ligação para os serviços de TV a cabo, assinaturas de periódicos – se é sua praia – internet, telefone, entre outros, isso algumas semanas antes da mudança, atualizando-os com o novo endereço. Certifique-se sobre prazos – desinstalação e reinstalação no novo endereço – para não ter contratempos depois.

Antes do “dia”, faça uma visita ao novo endereço e dê uma geral – faxina total – para deixá-lo no ponto para sua chegada com a mudança.

Bem. A depender do tamanho/volume de sua mudança ela pode ser feita de um jeito – como poderia dizer? – amadorista? É, quando você “consegue” algumas caixas na quitando da esquina, a ajuda dos amigos, pega carona no caminhão de mudança... (brincadeira), mas não necessita de tanto investimento.

Mas, se a ‘dimensão’ é outra, convém ‘profissionalizar’ um pouco, afinal, mudança de casa não se faz todos os dias.

Vamos lá:

Compre material para embalar, tipo plástico bolha, caixas, fitas adesivas, pincel atômico e etiquetas. Caixas pequenas/médias são as ideais, pois facilitam carregar ou deslocá-las depois no novo endereço.

Marque frágil em caixas com objetos frágeis e use setas indicando o lado de cima, é mais seguro.

Móveis, preferencialmente, não devem ser desmontados em sua maioria, sobretudo os menores, pois facilita a remoção e transporte, bem como a arrumação final depois na nova ‘casa’.

Aproveite e separe roupas, sapatos, móveis e eletrodomésticos que porventura serão doados ou descartados.

Objetos como espelhos, porcelanas e taças devem ser embalados individualmente, se possível, e os pacotes/caixas muito bem sinalizados como falamos acima.

Geladeira, fogão e televisão, por exemplo, não devem ser enrolados em mantas para não serem riscadas no transporte, pois, assim ao ‘natural’, com certeza, eles serão mais bem cuidados. Mesmo assim, faça uma vistoria em tudo para se certificar que está tudo bem, sem avarias de qualquer natureza. Isso antes de efetuar o pagamento.

Como vê, não é nada de tão complicado, mas que vai garantir a integridade de suas coisas.

Uma boa dica é, terminada a mudança, fazer a arrumação do novo espaço, colocando tudo no seu devido lugar e só depois partir para efetuar a limpeza de tudo.

Outra, é que a casa funciona como uma boa expressão da cara do dono (a), ou no plural. Os objetos, organização e espaços... Logo, dê uma bela retocada na sua(s) ‘cara’ antes de partir para inaugurar o novo espaço com os amigos.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como fazer para usar corretamente a lixa para madeira em seus trabalhos

A arte da marcenaria, como toda arte, tem lá suas regrinhas básicas que visam não só tornar o serviço mais previsível e seguro, bem como tornar mais fácil sua execução, e com a marcenaria não é diferente.

Algumas regrinhas estão aí pra facilitar “as coisas”. No caso a escolha da lixa adequada ao seu serviço, bem como melhor forma de utilizá-las para que tudo saia da melhor maneira possível e compense o seu esforço e expectativas.

Logo, escolher a lixa certa para cada trabalho é algo que deve ser feito com muita atenção. Algumas madeiras devem ser lixadas com lixas mais grossas do que outras.

Mas, independente do tipo de madeira, o ideal é que se comece com uma lixa mais grossa e, na sequência, ir reduzindo “a numeração” para se conseguir um acabamento perfeito.

No caso das 'madeiras nobres', como o mogno, marfim, cedro ou cerejeira, as madeiras maciças, teria como recomendação inicial se fazer a primeira ‘lixada’ com o recurso de uma lixadeira elétrica – disco ou fita –, ou com o uso de um toquinho de madeira envolvida pela lixa o que lhe dá mais firmeza.

É bom lembrar-se que o ‘lixamento’ deve ser feito sempre no sentido – a favor – dos veios da madeira, para que não risque e preserve sua beleza, o que pode ser importante no acabamento final.

O uso do “toquinho de madeira” facilita todo o processo.

Retomando a ideia inicial, o processo deve começar com a lixa de nº 80 e gradualmente mudando para os números 100, 150, 180, 220... E, a depender do caso, subindo na sequência até obter o acabamento desejado.

Se no processo surgir alguma imperfeição maior, tipo riscos mais profundos, volte todo processo e reinicie com o nº 80.

Para se certificar se já satisfatório, faça o teste passando um pedaço de estopa sobre a área e se ficarem muitos resíduos presos na madeira e sinal de que ‘ainda’ não está bom.

Um lembrete: ‘economizar’ no uso das lixas – insistindo e usar depois de muito gastas – pode não ser uma boa ideia, pois vai atrasar seu trabalho e pode até comprometer o resultado.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Como fazer para conservar os seus móveis e mantê-los sempre bonitos

móvel é um conceito que, mesmo hoje, herdou a fama de seus predecessores, que é o de durabilidade. Tanto é que não raro ficavam de herança. Situação esta que mudou significativamente, sobretudo em função do material em que são construídas as versões com materiais mais ‘modernos’.

Se no passado a madeira maciça era a regra, não podemos nem dizer que hoje seja mesmo exceção, já que quase tudo é de madeira, entre aspas, ou processada industrialmente.

É o que conhecemos como compensado, aglomerado, MDF, fórmica, laca, e por aí vai. Logo, o trato, o cuidado, com eles é diferente, inclusive entre si. Não para deixar de herança, mas para poder usá-los com mais tranquilidade e por mais tempo.

Mas, tanto em um como outro caso, algumas medidas e/ou cuidados, se tomados com certa regularidade, garantem a conservação, durabilidade e assim evita a necessidade de corrigir ou consertar eventuais problemas que possam surgir, bem como ter que trocá-los prematuramente.

Então vamos a algumas regrinhas básicas que, a bem da verdade, valem para todos eles:

Em primeiro lugar, móveis não podem ficar expostos ao sol, o que vai fazer a madeira ficar manchada – vale para os moveis de madeira maciça, quanto às manchas – e as lâminas podem descolar. Use cortina com black-out.

Não arraste. Se for preciso trocá-lo de lugar, esvazie-o totalmente e puxe-o pela base ou em local bem próximo a ela. Coloque sobre um pedaço de tecido grosso, tipo um tapete velho, o que ajuda o deslocamento sem comprometimento do móvel e mesmo do piso. Uma medida importante é “calçar” os móveis – use disquinhos de... para que possam ser movidos com mais facilidade e sem traumas.

Observe sempre uma razoável distância entre o seu móvel e a água/umidade, já que o mofo, bolor, e nos casos de não serem de madeira maciça, a água pode levar a um inchaço e desintegração, logo, perda irreparável. Por isso, “todo cuidado com a água é pouco”, como se diz.

Logo, não molhe nem exponha o móvel à umidade ou ao calor. Mesmo para tirar a poeira, aposte sempre no pano macio e seco ou, se necessário, mesmo, no máximo levemente umedecido com água.

Evite objetos pontiagudos sobre a sua superfície. Habitue-se a colocar – colar – “rodinhas” (sapatinhos) de feltro sob as peças que costuma deixar ou usar sobre eles, sobretudo àquelas mais pesadas, para se prevenir contra arranhões.

Mantenha-os sempre nivelados – use corretivos – calço – no lado com problema – o que vai garantir a sua “saúde”, bem como evitar que o desnivelamento possa impedir o bom funcionamento de portas e gavetas.

Faça uma vistoria periódica nos parafusos. Mantê-los sempre apertados e no lugar... O seu móvel agradece.

Na limpeza sempre prefira um pano macio em vez do tradicional espanador de penas. Embora o efeito visual no uso deste último pareça bom, a poeira pode se acumular em reentrâncias e emendas e deixar o seu móvel progressivamente com uma “cara feia”.

Evite subir sobre os assentos das cadeiras e bem como apoiar-se em duas pernas. Situações estas que podem fragilizá-las.

Se o seu móvel é de madeira, ou mesmo de laminado, uma ‘lustrada’ periódica – três a quatro vezes ao ano – com o óleo de peroba vai deixá-lo na só com a cara de novo e bonito, como vai dar um bom trato – hidratação na madeira, ou na lâmina de revestimento.

Entretanto se ele não é escuro o óleo de peroba pode provocar manchas – faça um teste em um ponto escondido – e, caso não seja compatível, pode usar a cera incolor pastosa com silicone (caso não sejam envernizados, pois podem se incompatíveis.

Para garantir o brilho e beleza no resto do tempo, use a velha conhecida flanela.

No caso de móveis envernizados cuja aparência esteja meio opaca, sem brilho, basta fazer uma mistura em partes iguais de terebentina e óleo de peroba. Depois com um pano macio molhado com esta mistura, esfregue bem a superfície do objeto.

Para puxadores, maçanetas e outros detalhes em metal, sejam eles de aço inox, banhos de cromo – informe-se na “certidão de nascimento” do móvel – aplique uma camada fina de cera polidora de carro e faça um polimento com pano seco, deixando-os todos brilhando e com caras de novos.

Concluindo, estas recomendações e/ou dicas, como viu, servem tanto para moveis de madeira maciça, mas, com atenção especial para aqueles aos quais nos referimos acima, bem mais frágeis e suscetíveis a sofrerem com eventuais maus tratos.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sexta-feira

Como fazer para reaproveitar vidros/vasilhames diversos com criatividade e bom gosto


O numero de vidros e todo tipo de vasilhames que chega a sobrar em casa parece a cada dia maior. Mesmo que o redirecionemos para o “lixo reciclável”, costumamos ficar com aquela pontinha de desgosto, pois gostaríamos de reaproveitá-los melhor de alguma maneira, não é verdade?
Neste texto e imagens abaixo vai conhecer algumas maneiras que pode utilizar para fazer um bom uso deles, descobrindo beleza e praticidade onde antes só víamos mais um descartável.
 Para fazer este agulheiro com porta-linha, uma “caixinha de costura”, corte um círculo de tecido, faça um alinhavo em toda a volta e recheie com fibra acrílica. Cole na tampa original e dê o acabamento com uma sianinha. 
Este organizador de cacarecos e outras miudezas que ficam por aí, pode ser feito em potes com bichinhos colados na tampa e pintados com tinta spray para artesanato.
Solução sem enrosco, pois sabemos que um rolo de cordão/barbante assim não costuma se comportar muito bem tanto quando guardados como em uso. Fure a tampa do frasco com um prego – elimine as rebarbas que surgem na parte interna do furo com leves batidas de um martelo, para não enroscar o dito cujo – e tenha um porta-barbante.
Com a reutilização de puxadores de gavetas – você, também, encontra nas lojas do ramo – o pote comum se transforma em uma peça única, original e de múltiplas funções, desde funções na cozinha como em outras áreas da casa.
Estes ex-vasilhames de molho recebem uma camada de primer, uma de tinta na cor de sua preferência e, por fim, um verniz fosco. Como vê na imagem, transformação total, um vaso de flores lindo e vai ocupar um bom lugar na sala ou no quarto.

Nesta imagem (1ª imagem) você vê um miniterrário de suculentas. Para conseguir esse efeito, espalhe pedrinhas no fundo do recipiente e, em seguida, um pouco de terra. Plante a suculenta e finalize com mais uma camada de pedrinhas para compor o visual.

Como vê, o resultado é muito bom e você pode até passar esta ideia pra frente, em uma atitude ecológio-ambiental e dica de decoração.

Com informações de casaejardim

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark