Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

segunda-feira

Como fazer para sair do sufoco financeiro e racionalizar suas contas este ano

Mesmo que sua situação financeira não esteja lá um sufoco, não custa dar uma olhada nestas dicas e conhecer regrinhas básicas que vão lhe ajudar a dar uma racionalizada nas finanças, que, como todo mundo, e em todo mundo – diga-se de passagem – encontra-se em um período meio delicado, em um cenário de autêntica crise econômica mundial, diga-se de passagem.

Logo, a ideia é evitar que ela, a crise, em sua versão ou desdobramento local não o pegue pelo pé e o deixe em maus lençóis. É simples!

As dicas foram meio que direcionadas às mulheres – grandes agentes das compras, e finanças, na casa – mas, tudo de bom para você, também, que não tem uma mulher no posto.

Confira:
"Atitudes para sair do sufoco este ano
1) Anote todos seus gastos

Para não perder a linha, faça uma planilha de orçamento. Com ela, dá para visualizar com clareza todos os seus ganhos e gastos ao longo do mês. Primeiro, confira os três tipos de despesas:

As fixas – você tem todo mês e com o mesmo valor, como aluguel ou escola das crianças.
Fixas com valores variáveis – também ocorrem todos os meses, mas o valor varia, como as contas de água, luz e telefone.

As arbitrárias – são as mais perigosas! É tudo aquilo que não estava planejado e, que de pouquinho em pouquinho, fazem uma enorme diferença, como restaurantes, cabeleireiro, roupas… Para não gastar além da conta, estipule uma quantia mensal para esses extras, saque-a no começo do mês e administre o valor com cuidado. Quando acabar, acabou!

Ponha na planilha tudo o que vocês ganham no mês (receita) e, depois, posicione os dois tipos de gastos fixos (despesas) no topo.

2) Limpe o armário

Patricia Lages, autora do livro Virada Financeira, cita pesquisas que mostram que as mulheres gastam em média a metade do que ganham em roupas, acessórios, sapatos etc.

Em tempos de crise, não dá, né? A dica é tirar do armário tudo o que não usa mais, e doar ou fazer um bazar entre as amigas (pode vender ou trocar por outras peças). Com o guarda-roupa menos entulhado, você vai encontrar coisas que nem lembra de ter comprado um dia!

3) Use uma agenda

Você pode duvidar, mas ter uma rotina organizada não ajuda somente a lembrar dos compromissos. Faz com a gente consiga pensar com mais tranquilidade e encontrar soluções para sair das dívidas. É que a sensação de ter tudo sob controle diminui o estresse e ansiedade.

Continue lendo aqui.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer para não ter o seu currículo sumariamente eliminado

São detalhes simples que passam despercebidos, mas que podem fazer uma grande diferença ao ser avaliado por um futuro empregador, sobretudo em meio a um ambiente tão concorrido, onde muitas vezes o que faz a diferença, que desempata, são essas pequenas e sutis filigranas.

Logo, se “está na luta”, não custa dar uma olhada.
"6 erros que fazem um currículo ser eliminado
De nada adianta ter uma trajetória extraordinária ou uma formação acadêmica de fazer inveja se você descuida de uma peça básica da sua vida profissional: o currículo.

Certos detalhes são sutis. Até um elemento tão singelo quanto a fonte do texto, como a clássica Arial ou a detestada Comic Sans, pode transmitir mensagens subliminares sobre quem é a pessoa por trás do documento.

Outras variáveis, mais evidentes, podem comprometer seriamente as suas chances de contratação. Veja a seguir 6 erros que os recrutadores não perdoam:

1. Ausência de informações para contato

Pode parecer óbvio, mas muitos profissionais se esquecem de incluir dados básicos sobre si mesmos no CV. De acordo com Marcelo Beltrame, gerente da consultoria Michael Page, no documento não podem faltar nome completo, bairro de residência, e-mail e telefone.

O headhunter ainda destaca a importância de colar o endereço do seu perfil no LinkedInuma ferramenta essencial, segundo ele, para conhecer as conexões do candidato e avaliar seu cuidado com a própria identidade na internet. Se você não incluir esse link, fica difícil encontrá-la na rede social, principalmente se ela tiver um nome comum, como João Silva, por exemplo.

2. Uso indevido do “control C, control V”

Nada é tão nocivo para a credibilidade de um profissional quanto demonstrar preguiça na confecção do próprio currículo. Uma prova cabal de desinteresse é trazer informações claramente copiadas e coladas em diferentes partes do documento.

Segundo Beltrame, não é raro encontrar CVs com descrições de responsabilidades idênticas nas diversas empresas pela qual o candidato passou. O que se sente nessas repetições preguiçosas, diz ele, é que o profissional não tem cuidado com o recrutador e não está muito interessado na oportunidade.

3. Falhas graves de português ou redação

Erros gramaticais muito grosseiros são imperdoáveis – ainda mais com a profusão de ferramentas tecnológicas que permitem revisar um texto. “O mínimo que se espera é que o candidato passe um corretor ortográfico no documento”, diz Almeida.

Mas não são apenas as infrações à norma culta da língua que decepcionam os headhunters: o mesmo efeito é provocado por textos mal redigidos, confusos, ambíguos ou incoerentes. Se você sente dificuldade na hora de escrever, a dica é organizar as informações na forma de lista. “Use de 5 a 10 itens para descrever as suas passagens profissionais e atribuições em cada emprego”, sugere o especialista.


4. Layout extravagante

A não ser que você trabalhe na indústria criativa, é melhor fazer um currículo com visual simples e comedido. Segundo Gabriel Almeida, gerente da consultoria Talenses, o CV precisa uma aparência sóbria porque é um documento formal.

Cores, fontes, logotipos ou imagens em excesso podem minar a atenção e até a paciência do recrutador. Para não errar, aposte em papel branco, poucas cores e fontes clássicas. “Currículos devem ser simples e limpos”, diz Almeida. “Eles devem ser chamativos pelo conteúdo, não pelo formato”. Veja aqui 12 modelos de diagramação de currículo para baixar e preencher.

5. Chavões e elogios a si mesmo

Outro problema grave está na prática – muito disseminada – de usar adjetivos desgastados e vazios como “dedicado”, “proativo”, “ágil” ou “perfeccionista” para descrever o próprio comportamento.

Além de nada agregarem ao conteúdo do documento, diz Beltrame, essas expressões não têm credibilidade alguma. Afinal, autoelogio é como publicidade: fica difícil acreditar piamente se a parte interessada é quem está falando.

6. Tamanho insuficiente ou exagerado

Ainda que um bom currículo deva ser conciso, ele não pode ser lacônico demais. As principais informações têm que estar presentes – pelo menos para formar um retrato básico de quem é o candidato por trás do documento.

“Um currículo com uma única página é sucinto demais, mas se passar de cinco laudas também está inadequado”, diz Almeida. O ideal é encontrar um meio termo para a extensão do documento. O princípio básico é simples: nada deve faltar, nem sobrar.

Claudia Gasparini, de EXAME

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer para facilitar servir o cafezinho às visitas sem contratempos

Às vezes um simples servir o cafezinho para as visitas pode trazer contratempos ou dissabores.

É o que pode acontecer ao levar as xícaras cheias e acabar por derramar um pouco no pires com o movimento do andar, o que pode até sujar a visita com eventuais pingos que venham a cair da xícara, quando ela erguê-la para tomar o café.

Uma boa ideia, embora pareça muito simplória, que evita esse contratempo, é colocar as colherinhas de mexer o açúcar dentro de cada xícara, pois, ao mesmo tempo em que ela esfria um pouco o café ao absorver um pouco do calor, ela impede a formação de ondas na superfície e com isso que ele derrame no pires.


Confira e verá que funciona, mesmo.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como fazer um relógio de parede minimalista

É uma ideia simples, mas original para você fazer um relógio de parede minimalista não só no design mas, também, no uso de recursos e trabalho.

É o que vai ver a seguir.

Como vê na imagem, você vai precisar da tábua, pode se de MDF como na imagem, ou outra qualquer, inclusive retirada de algum caixote descartado por aí, o que vai adicionar outro “item conceito”, o ecológico/ ambiental, ao seu relógio conceitual.

A madeira deve ter 30 cm de diâmetro. Como não vai encontrar uma, assim, já pronta, você vai precisar de uma serra tico-tico para cortar.

Use um ponto fixo no centro da tábua, um pequeno prego, amarre um barbante e na outra extremidade um lápis, daí é só girar e marcar o diâmetro para o corte.

Uma furadeira com uma broca que faça um furo suficiente para passar o “rotor” do relógio, da “máquina do relógio”. Aproveite a marca do furo do prego no centro da tábua para fazer o furo.

É, vai precisar da “máquina do relógio”, é claro! São vendidas em lojas para artesanato e custam bem pouco.

Uma 'tira' de couro em largura equivalente ao da tábua, que pode ficar, como na imagem, como alça ou pode dar a volta completa na tábua, tipo uma moldura.

E, finalmente, dois pequenos parafusos ou mesmo pregos.

É bom lembrar que deve dar um trato na tábua com uma lixa. Se for uma como a da imagem, talvez não, mas se for reaproveitar ela pode precisar.

E está pronto!

Brincadeira. Mas, é só seguir o passo a passo informal descrito acima e no final montar o relógio na tábua.

Simples, não?

Com informações de The Lovely Drawer

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Como fazer para manter facilmente a sua casa organizada

Organização à primeira vista parece coisa de 'pelinha', de gente excessivamente sistemática quando se fala em organização – embora o traço de personalidade não seja ruim em si mesmo – não é verdade?

Entretanto antes de qualquer ideia preconcebida que nos passe pela cabeça, organização em si mesma seria dar um toque de racionalidade, de praticidade, de fluidez ao ambiente, às coisas, daí ser, sempre, uma boa ideia.

Primeiro, como não poderia deixar de ser, é dar uma geral, fazer uma arrumação total na casa e nas coisas, e, a partir daí o desafio é manter tudo nos conformes, no lugar, que, com certeza, se você o escolheu – o lugar – é porque foi o melhor que encontrou para facilitar as coisas e usos.

Uma dica básica, que poderia até trazer em si todas as demais, é sempre recolocar o objeto, cada coisa em seu devido lugar após tê-la usado ou ter sido retirado do seu lugar por algum motivo. Na hora!

Isso vale, inclusive, para as roupas, tanto aquelas que acabou de despir como aquelas que considerou usar na hora da escolha e descartou. É rápido, e o resultado é o andamento ótimo da estratégia de manter a organização.

Claro que é mais fácil fazer do que induzir ou convencer o resto da família e/ou de moradores a fazerem o mesmo. Mas, não desista! Com jeito, e algum tempo, vai dar certo. Logo, enquanto a “coisa” não rola como deveria, releve e vá você mesmo fazendo uma operação catação do que encontra espalhado pela casa, colocando, ou recolocando, os objetos em seus devidos lugares.

Enfatize em suas conversas 'suaves', mas, firme, que a ideia é cada um cuidar de suas próprias coisas, enquanto tenta conquistar adeptos para compartilhar a tarefa.

Um lembrete oportuno. Arrumar a própria cama de saída, introduz um “modus operandi” na cabeça que vai facilitar tudo o mais ao longo do dia, isso sem falar no efeito estético que é um alento para quem olha.

Existe um ponto que costuma pegar na organização da cozinha, que é a quantidade de “vasilhames” de todo tipo e tamanho que costuma entulhar os armários e outras dependências a espera de um uso hipotético que quase nunca se efetiva. Logo, a saída é dar uma racionalizada e deixar apenas o que, de sã consciência, acha que vai usar. O resto vai direto para o reciclável.

Pesquisas afirmam que um percentual considerável de pessoas efetua compras sob efeitos emocionais, tipo estresse ou coisa do gênero, logo, o resultado é que costumamos ter em casa muito mais objetos e coisas que, na verdade, não precisamos.

A regra então seria: compre bem menos. Faça uma análise criteriosa se efetivamente precisa do dito cujo, objeto.

Aliado a isso, existem evidências segundo as quais a grande maioria das pessoas usa um percentual muito pequeno até daquilo tudo que tem e que acumula em casa. Acredite. Pouco mais de 20 % do total, pode?

Logo, mesmo que o seu caso não seja tão radical assim, não custa fazer uma triagem em “suas coisas” e conferir isso. Aproveite e passe para frente o “resto”. Tem muita casa de caridade e assistência de todo tipo que vai adorar receber tanta coisa para seus brechós e bazares beneficentes.

Uma ideia adicional que vai contribuir para evitar o ciclo ‘meio que natural’ da bagunça, é estabelecer locais apropriados para colocar algumas coisas de “grande rotatividade”, tipo jornais e revistas já lidos, chaves e demais apetrechos que descarregamos ao chegar da rua, além de pastas e bolsas.

Com um lugar certo, e fixo, para cada coisa, tudo fica bem mais fácil. E arrumado!

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sexta-feira

Como fazer para aproveitar e dar usos interessantes a caixotes descartados

Usar, ou reutilizar, caixotes descartados de todo tipo não chega a ser uma novidade, não é verdade?

Mas, uma boa, nova, ideia de como fazer isso é sempre bem-vinda, já que os tais caixotes estão aí por todo lado e o seu destino mais provável é, mesmo, o lixo, o que temos que admitir, é uma grande perda.

Nestas imagens abaixo estão algumas ideias.

Esta é muito boa e o resultado pode ter múltiplos usos. As rodinhas você encontra no comércio facilmente, e podem ser das menores, mesmo, com suporte de metal de preferência, pois suportam mais peso e duram mais.

Converse com o dono da loja. Se bem que uma rodinha maior teria um efeito estético mais radical.

Como a madeira da base do caixote é fina e não suportaria os parafusos, você pode colar. É, colar! Use para isso a cola própria para madeira. Fiz algo assim é está bem firme.
Essa segunda ideia seria para uma estante multiúso. O detalhe é a escolha do revestimento interno, embora você possa lixar e passar um verniz realçando a cor da madeira.

Para pendurar você pode usar aqueles ganchos de suspensão – veja na loja de ferragens – fixando-os nas extremidades do caixote onde a madeira é mais grossa e firme.
Esta opção de juntar alguns caixotes e transformá-los em uma 'prateleira' de banheiro, próxima ao chão, também, é muito boa e se você utilizar, como no caso acima, as rodinhas, vai facilitar manuseio e deslocamento bem como deixá-la fora de alcance da água, o que é bem comum no banheiro no cotidiano, sobretudo na hora da limpeza.

Antes você deve fixar os caixotes uns aos outros para dar mais estabilidade ao conjunto.

Como acabamento o verniz fica muito bom, mas pode optar, também, para pintura. Branca por exemplo.
Esta última é para dar mais organização e certo charme na hora do rango do “peludo”. Neste caso dar uma mão de verniz, por dentro e por fora vai ajudar na conservação e na hora da limpeza.

As aberturas para acomodar as 'vasilhas' de rango podem ser feitas com uma serra tico-tico. É só tirar a medida para que elas fiquem fundo o suficiente para evitar que ele as retire do lugar.

           Obs. Os caixotes que ilustraram as imagens são de vinho, mas a ideia pode ser aplicada – adaptada até – para outros tipos de caixotes disponíveis, que são muito variados.

Com informações de ciclovivo

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações
 
*

Share/Save/Bookmark

quarta-feira

Como fazer para conservar melhor os seus móveis com cuidados e atitudes simples


Os móveis hoje, em grande parte, são feitos com madeiras processadas – MDF ou aglomerado – e, aliado a outros fatores ou detalhes da fabricação, não parece terem sido concebidos para durarem muito, logo, vai depender de você, de como os usa para que possam durar mais tempo, bem como não começarem a aparecer com '‘probleminhas’' que dificultam o seu uso.

Estas dicas ou recomendações abaixo parecem pouco usuais, mais podem dar uma vida mais longa e sem percalços pelo caminho aos seus móveis.

O peso é um dos principais aspectos a serem observado na conservação dos móveis. Independente do móvel. Observe se a distribuição do peso está bem equilibrada de maneira que não deixa a tábua – tampo ou prateleira – abaulada com o peso excessivo, o que vai levar ao rompimento ou deslocamento da estrutura.

O manuseio diário dos móveis, como a forma como abre e/ou fecha as portas e gavetas têm tudo a ver com a sua conservação e durabilidade. Elas não foram concebidas para suportarem as batidas bem como as próprias dobradiças que serão danificadas, logo, feche as portas devagar – não se apoie sobre elas – e as gavetas com cuidado.

O local ou a posição que coloca os seus móveis em relação aos sol é, também, um fator importante em sua conservação e que deve se observado. A ideia é impedir a incidência direta do sol. Se não tem alternativa a saída são as cortinas com blecaute.

Outro fator de desgaste é o calor, não só do sol, mas de equipamentos como fornos, fogão, churrasqueiras e coisas do gênero. Logo, deve observar uma boa distância entre eles.

A umidade é outro agente que costuma provocar um efeito radical nos móveis, sobretudo aqueles, como falamos acima, feitos com madeiras processadas, que, na verdade, “não podem ver água”. O ideal é evitar ao máximo o contato direto deles com ela, não importa a forma, se no chão ou sobre ele, inclusive ao fazer a limpeza, quando deve preferir um pano levemente úmido do que molhado ou a água direta.

A limpeza é outro item delicado. O ideal é usar um sabão neutro ou detergente de pia com um pano macio ou uma esponja de limpeza – a parte amarela – evitando o abuso de água. Quanto aos vidros, limite-se a usar um pano molhado, pois ao jogar água pode atingir e afetar a madeira.

Agora, alguns itens a serem observados na conservação direta.

Pelo menos em princípio os móveis já veem de fábrica com um tratamento básico, notadamente na superfície, para melhorar a sua conservação.

Entretanto você pode usar o óleo de peroba, o que lhes garante melhor aparência e proteção contra poeira. Nas partes metálicas, tanto na estrutura como nas dobradiças e puxadores, você pode usar a cera automotiva, ou a vaselina liquida, que lhe dão brilho e até garantem contra a ferrugem.

A vaselina liquida pode, também, ser usada para corrediças e trilhos, facilitando o deslizamento e leveza da peça.

Com informações de Pense Móveis

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações
 
*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer para dar uma organizada em alguns pequenos serviços na cozinha

A cozinha, como a casa como um todo, sempre apresenta alguns desafios interessantes no cotidiano, que não custa nada dar uma olhada em algumas novas ideias para agilizar e até facilitar todo o processo que implica em uso, limpeza e reorganização do espaço, isso sem falar em outro item, que seria a estética ou beleza.

É o que vai conferir nos itens abaixo.

   "Paninhos multiuso e outros curingas para uma cozinha limpa e funcional

 

Panos multiuso

Uma solução prática e realmente útil para a higienização da sua cozinha são os panos de microfibra. Este tipo de material dispensa o uso excessivo de produtos de limpeza – que podem ser nocivos – além de absorverem melhor a sujeira sem soltar fiapos ou riscar móveis e eletrodomésticos. Mas atenção, não deixe os panos úmidos sobre a pia, eles tendem a criar micróbios.

Não deixe utensílios expostos


Evite deixar aqueles tradicionais potes com várias colheres de pau, conchas e afins ao lado do fogão. O arranjo é realmente muito prático, mas está propenso ao acúmulo de gordura e a “pegar” cheiro, pois dificilmente serão limpos diariamente. Caso não haja gavetas suficientes, deixe o pote dentro de algum armário quando fora de uso.

Faxina pesada

Estabeleça pelo menos um dia na semana para fazer uma faxina geral na cozinha, daquelas para desencrostar a sujeira. O cuidado visa eliminar o acúmulo de gordura que as pequenas limpezas diárias são incapazes de remover e que demandam mais tempo e empenho. Nesse dia, dedique-se aos azulejos ou estabeleça qual parte dos armários será higienizada.

Tábua de madeira pode?

Utilize tábuas de vidro, bambu ou polietileno em lugar das de madeira, que proporcionam um ambiente ideal para a proliferação de microrganismos. Essas três alternativas são mais higiênicas e fáceis de limpar. Mas atenção: mesmo nestes casos, o ideal é separar uma unidade para carnes e outra para vegetais.

Água e sabão

Não utilize para higienizar pisos, bancadas e eletros produtos de limpeza que contenham ácido muriático (clorídrico) ou hidróxido de potássio (soda cáustica). Além de serem perigosos para a saúde, podem manchar e danificar as superfícies. Também não é recomendado o uso de sabão em pó, buchas ásperas ou produtos aditivados com limão, flúor etc., principalmente para limpeza de porcelanatos polidos. O ideal para a faxina segura é o duo água e sabão.

Remova a gordura


Para remover o excesso de gordura em fogões, fornos e coifas, provavelmente, vai ser necessário utilizar um desengordurante voltado especificamente para esse fim. Aplique o produto com panos de microfibra ou outro material macio e evite as buchas grossas, elas podem riscar as superfícies.

[Fontes: Adalva Gonçalves, química; Fernanda Ribeiro, gerente operacional da Limpeza com Zelo e Natalia Zanardi Ortiz, house organizer e autora do livro "Casa em Ordem".]


Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer para cuidar e conservar melhor o seu biquíni preferido

Se você finalmente encontrou aquele biquíni perfeito para o seu corpo e estilo, não custa dar uma olhada nestas dicas abaixo de como fazer para conservá-lo e garantir-lhe uma vida útil em perfeito estado por bem mais tempo que o usual, ou, a bem da verdade, por tempo indeterminado.
"Economize no verão: 9 cuidados que aumentam a vida útil do traje de banho
Você encontrou o biquíni perfeito: ele é lindo, veste bem, valoriza seu formato de corpo e faz com que se sinta uma deusa das areias. Com os cuidados certos, sua roupa de banho favorita poderá permanecer dessa maneira por muitos verões.

"Não há um período preestabelecido de durabilidade uma vez que a vida útil da peça é influenciada diretamente pelos hábitos de uso e de conservação do consumidor final, bem como pelas condições em que a peça é submetida durante os ciclos de uso, lavagem e secagem", explica Beni Waiswol, diretor da Salotex Indústria Têxtil, de São Paulo. Você provavelmente já sabe que não deve guardar seu traje molhado, que estender ao sol contribui para o desbotamento e que torcer na máquina pode danificar o tecido. Mas nunca é demais conhecer estratégias que farão com que você não precise investir em novos modelos a cada temporada. 

Veja a seguir:
Lave a peça após o uso
Mesmo que você não tenha entrado no mar ou dado um mergulho na piscina, seu biquíni precisa ser lavado. "É importante lavar as peças mesmo que não tenham sido molhadas pelo simples fato de que o suor pode contribuir para desbotamento e o surgimento de manchas", alerta Sandra Kim, estilista de São Paulo. A lavagem elimina produtos químicos e substâncias que prejudicam as fibras delicadas do top ou calcinha. "Água salgada, cloro, suor, óleo de bronzear, protetor solar, sujeira e areia danificam os tecidos", complementa Cristina Sant'Anna, professora de Pós-Graduação em Moda e Criação na Faculdade Santa Marcelina e consultora em Gestão Estratégica de Design e Moda, de São Paulo.
Cuidado com o uso de pregadores
A pressão exercida do pregador sobre o tecido enquanto ele seca no varal pode marcar a peça definitivamente. A proporção do dano varia conforme o tempo e a intensidade da constrição, mas é fácil evitar que o biquíni fique deformado pelos pregadores. "Eles devem ser colocados próximo de costuras ou alças", comenta Marina Dias, porta-voz da marca de moda praia Blue Man, do Rio de Janeiro. Uma alternativa mais segura é colocar as peças horizontalmente entre duas toalhas secas e pressioná-las suavemente para que absorvam o excesso de água. "As peças não devem ser deixadas em demasia entre as toalhas e devem secar sobre uma superfície plana, em área ventilada e na sombra para não desbotar", alerta Cristina Sant'Anna.
Não abuse do alvejante
Embora os tecidos utilizados para confecção de trajes de banho sejam compostos por fibras sintéticas com alta resistência, alguns materiais são mais sensíveis a determinados compostos químicos, principalmente o cloro. "Ele interfere diretamente na vida útil de uma peça, porque os tecidos de maiôs e biquínis, que normalmente são de poliamida ou poliéster --exceto forros--, têm com filamentos de elastano", explica Marcelo Gomes, coordenador de setor de qualidade da empresa têxtil TexPrima, em São Paulo. O resultado a longo prazo é o comprometimento dessa estrutura responsável pela maleabilidade, além de um possível aparecimento de manchas amareladas.

Por Danielle Cerati/UOL

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como fazer para reduzir os danos da maresia em seu ar condicionado

A época é bem adequada, já que deve estar aumentando o tempo de frequência e uso de sua casa de praia e vem observando com mais frequência os efeitos da maresia, já que o calor torna o ar condicionado meio que um dos centros de atenção na casa.

Se bem que ela, a maresia, não costuma escolher estação do ano para marcar presença no aparelho de ar condicionado, bem como em outros equipamentos em sua casa.

Então vejamos.

O procedimento ou cuidado básico essencial é a substituição dos tubos de cobre por tubos de alumínio que são mais resistentes a corrosão. Além disso, o alumínio é um material mais barato, mais leve e mais maleável. O alumínio também trabalha melhor em temperaturas e pressões elevadas.

Um fator que deve ser levado em conta na hora da substituição dos tubos de cobre por tubos de alumínio é realizar a limpeza de peças como flangeador, curvador, rebatador e molas. A observação ou lembrança é importante para que se possam remover todos os resíduos de cobre, evitando assim que eles possam vir a danificar o alumínio.

Um cuidado adicional é observar a limpeza radical de cada ferramenta utilizada antes de partir para a limpeza de cada tubo.

E para concluir, lembre-se de proteger o seu ar condicionado com uma capa hermética no final do verão, já que, como falamos acima a tal maresia não escolhe estação do ano e nem tira férias.

Com informações de webcontinental

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Como fazer para evitar os erros mais comuns ao usar o protetor solar



O protetor solar é geralmente associado ao verão e à praia. Entretanto, o sol está aí o ano todo e mesmo que não se dispa e se exponha nas areias e beiras de piscina, partes de seu corpo recebem o sol direto e o efeito ruim, embora mais brando, é real.

Estamos falando de rosto, pescoço, mãos e outras áreas expostas, o que, com certeza, vai comprometer suas preocupações, ocupações e cuidados com a beleza, senão com a saúde.

Nesta relação abaixo vai encontrar alguns dos erros mais comuns que podem botar tudo a perder. 

Confira!
"Aplicar o protetor solar apenas de manhã
Muita gente tem por hábito aplicar o protetor apenas quando sai de casa, sem saber quão nociva esta prática é. Geralmente, as fórmulas de proteção duram na pele no máximo por duas horas, e, depois deste período, não são mais eficazes. O suor e os banhos de água salgada ou de piscina também vão retirando o produto da pele, expondo-a de novo ao sol.
Aplicar protetor apenas nos dias ensolarados
Em dias nublados ou de chuva, 40% dos raios solares nocivos atingem a superfície da terra, e também podem causar danos à pele. Desta forma, é importante usar protetor solar em todos os dias do ano.
Usar pouca quantidade de produto
Para conseguir o máximo de proteção, o corpo humano necessita, no mínimo e em média, da quantidade equivalente a três colheres de sopa de protetor solar, e, apenas para o rosto, o mesmo que uma moeda de 5 centavos. 
Contar com os produtos de maquiagem com fps para proteção total
Muitas vezes, as mulheres podem cair no equívoco de substituir o protetor solar por produtos de maquiagem que têm FPS. Além de terem fator de proteção consideravelmente menos que um creme específico, estes produtos não serão reaplicados durante o dia, como um protetor deveria ser.
Esquecer de se proteger de outras formas
Além do protetor solar, a exposição exagerada na praia ou no campo requer outros tipos de proteção, como sombrinhas, chapéus e óculos de sol.
Não aplicar protetor nas áreas do corpo cobertas com roupa
É de extrema importância proteger todas as partes do corpo que se forem expor ao sol, mesmo que fiquem por baixo do biquíni ou maiô, pois os raios solares também penetram certas fibras e tecidos, e de acordo com a sua intensidade, podem causar danos irreversíveis à pele.
Usar o mesmo produto por vários anos
Mesmo que a embalagem do protetor solar não esteja acabando, é importante verificar o prazo de validade do mesmo. Em todos os produtos de beleza, a validade é algo a ter em conta, mas mais ainda para fórmulas específicas para combater os efeitos nocivos do sol. Com o tempo e as altas temperaturas a que é exposto, o protetor perde a sua eficácia.

Com indformações de  belezaextraordinária

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark